Semeando amor próprio

setembro 23, 2019


Acordei com o celular vibrando, meio zonza e ainda babando no travesseiro noto um pequeno raio de sol passando pela veneziana fechada. Bocejo, pego o celular e vejo a hora, eram exatas 6h e 17min. "Putz, quem mandaria mensagem tão cedo?". Desbloqueei e vejo no WhatsApp "Oii amiga, td bem? Leva teu caderno de física pra eu copiar a matéria?" Típico da Isabela, falta aula e pede o conteúdo de última hora. Respondi assim "Oii, td bem sim e contigo? Claro que levo, fica tranquila".
Aproveitei para conferir outras notificações, no Instagram a primeira coisa na DM era "Olá, tudo bem? Amei essa sua bolsa, onde comprou?" Era uma seguidora loira e sorridente "Oii, tudo sim e você? Comprei nessa loja aqui, esse é o link" respondi.

Fiquei um pouquinho deitada, eu tinha alguns minutinhos até a hora de levantar. Estava me sentindo meio mal, um cansaço insaciável me consumia, eu poderia passar anos dormindo que ainda me sentiria assim. Mas mesmo quando me perguntavam se estava tudo bem eu dizia que sim com um sorriso no rosto. Não me julgue não sou a primeira pessoa a fazer isso e, com certeza, não serei a última porque é de rotina, cumprimentar e perguntar como está. Não os culpo, virou hábito, não é pra dizer a verdade. Talvez o mundo se perdeu quando o "tudo bem?" Começou a fazer parte do "bom dia".
                          
Eu tentava entender a raiz dos meus problemas, já havia ido em dezenas de sessões de terapia para isso, me fazia bem, eu saia feliz de lá, mas era só o despertador tocar no outro dia que eu já me sentia dessa maneira de novo, era como um labirinto infinito onde eu era a menina que não conseguia sair e repetia várias vezes o mesmo caminho errado.
                                        
E, para completar, você foi embora do nada, me deu flores no sábado e semana passada decidiu que não queria mais. Sem alguma explicação. O meu amor não foi o suficiente? O problema é que você não entendia meu amor? De qualquer forma, sinto muito, mas não fui eu que saí perdendo nessa história. 
                         
Acredito que só podemos escrever sobre aquilo que conhecemos, mas, às vezes, isso não faz muito sentido. Escrevem tanta coisa por aí, textos sobre amor enquanto ninguém sabe exatamente o que é de fato essa coisinha tão complicada.
Amor é liberdade? Não, nem todos que amam são livres.
Amor é frio na barriga, suor e coração acelerado? Está maluca? Isso é um ataque de pânico, sei disso como ninguém.
Amor é colocar a necessidade do outro acima da sua como disse o Olaf em Frozen? Não, não, não, isso é perigoso para si mesmo. É preciso haver equilíbrio.
                         
Amor é... Ok, eu não sei o que é amor, existem incontáveis poemas que estudei na aula de literatura, são tantas opiniões e palavras, eu levaria uma vida toda para ler todos. São diferentes e únicos, sabe o motivo? Porque o amor é assim, não tem uma definição exata, é pra cada um como é pra ser, como essa pessoa precisa, por isso as diversas referências literárias.

Para mim é algo confuso ainda, não entendo, você me jurou o eterno, esperou um ano todo até chegar na primavera para ir embora junto com a neve, no início, até o cheiro das flores me irritavam, agora sinto que elas, assim como eu, estão florescendo.
                         
Eu errei em deixar que minha paixão fosse maior que meu amor, você errou ao mentir para mim e ao me machucar, nós dois erramos por acreditar que seria para sempre. Nada é pra sempre, tudo precisa terminar, o universo é feito de recomeços.

O tempo é relativo como Einstein dizia (sim, essa matéria que tive na última aula de física e agora terei que passar para Isabela) há um ano nosso "para sempre" era de fato eterno, porque como o diálogo entre o Coelho Branco e a Alice em que ela pergunta "quanto tempo dura o eterno?" E ele "às vezes um segundo". Então, concluo que de fato foi eterno, pelo menos enquanto era pra ser. Nosso eterno durou tempo suficiente para aprendermos muita coisa, mas não o suficiente para nos fazer felizes para sempre.
                         
Estou melhor agora, talvez tenha sido bom, descobri o melhor amor que poderia ter, o meu para mim mesma. É tão bom me olhar no espelho e gostar do que vi, fazer um post para o blog e gostar do que escrevi, eu me descobri, por isso não te odeio (como você disse pra eu fazer de uma maneira tão  cruel que me deixou com lágrimas nos olhos),na verdade, eu te agradeço, sem isso, eu jamais teria crescido e não estaria onde estou.
Ariana Grande estava certa quando lançou Thank u, next, corações partidos fazem parte e podemos escolher em deixar que isso nos destrua ou que isso nos fortaleça, cada momento é um aprendizado, seja bom ou ruim, só saiba que toda noite acaba e o sol volta para iluminar. Mesmo se estiver chovendo no outro dia, nenhuma tempestade dura para sempre, pois assim como os momentos bons não são eternos, os ruins também não.
                         
Somente duas pessoas nesse mundo inteiro já partiram meu coração, eu as agradeço, juro. Eu aprendi tanto, escrevi os melhores textos e agora estou aqui, bem com o amor da minha vida: Eu mesma.
                          
Nossa, já é quinze pras seis, preciso levantar e ir para aula. Isabela está me esperando
                          

You Might Also Like

12 comentários

  1. Corações partidos fazem parte da vida, infelizmente. Ninguém quer passar por isso. Já tive a cota do meu. Mas quando descobrimos o amor próprio não há coisa melhor.
    Concordo que nem sempre amor é liberdade, mas deveria ser.
    Beeijo!!

    Grazy Carneiro
    Meus Antídotos

    ResponderExcluir
  2. Já sofri muito por colocar os outros como prioridade. Esse é o nosso maior erro. Somos tão importantes como os outros, devemos nos colocar em primeiro lugar às vezes. ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  3. Nós devemos nos colocar como prioridade da nossa vida, amei o texto

    www.estiilocarol.com

    ResponderExcluir
  4. Como eu costumo dizer: o primeiro e último amor é o amor próprio.

    big beijos
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
  5. Já me anulei demais por colocar outros em primeiro lugar, desenvolver amor próprio primeiro é essencial pra que saibamos amar o próximo. Ótimo texto!

    bjs

    Ariadne ♥
    De volta ao retrô | Instagram

    ResponderExcluir
  6. Acho que existem tipos de amor, mas nenhum é "explicável", ele é apenas sentido, e o amor-próprio é isso, quando ele se torna algo comum a gente acaba o identificando e ficando feliz por senti-lo. Antes de amar alguém, é necessário nos amarmos, para que a nossa felicidade não dependa de outra pessoa, mas de nós mesmas. É como vc diz no texto, cada momento é um aprendizado! Amei seu post, vc escreve muito bem.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  7. Que coisa mais linda do mundo! Estou apaixonada pelas tantas e tantas mensagens fundamentais para relacionamentos mais saudáveis e para mais amor-próprio. E que delícia o texto vir acompanhado de uma playlist linda assim! Amei <3

    semquases.com

    ResponderExcluir
  8. What a beautiful place! Wonderful photo!
    http://www.recklessdiary.ru

    ResponderExcluir
  9. Amei o texto. Envolvente, cheio de sentimentos e de verdades. Não devemos colocar outros amores acima do nosso amor próprio e toda forma de amor deve ser libertadora, deve acrescentar, fazer bem no geral. Claro que tem as suas dificuldades porque envolve pessoas, mas não dá para fazer mais mal do que bem.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest

    ResponderExcluir
  10. Self-love is something I believe to be crucial to increasing our own happiness.
    https://childactorla.com/

    ResponderExcluir
  11. Quem olha nossas mensagens felizes e de bom humor, não imagina o que estamos passando para esconder tudo em sorrisos e mensagens fofas. Cada um vive suas lutas diárias e um coração partido é algo bem ruim de superar, viu? Amei seu texto, bem reflexivo.
    Bjks!

    http://mundinhodahanna.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Conhecer gente nova

Quer mandar algo?