A sutil arte de ligar o f*da-se | O que eu achei

 


Todo mundo concorda que a vida é uma caixinha de surpresas que traz momentos completamente aleatórios que podem surpreender. Nós não temos controle do que acontece, por isso enfrentamos diversos problemas ao longo da jornada, muitos podem pensar que a vida é uma droga por não ser feita somente de momentos alegres e estão certos, a vida de fato é bem complicada e assumir isso é ótimo, bom, pelo menos é isso que aprendi ao ler "A sutil arte de ligar o f*da-se" escrito por Mark Manson

Confesso a vocês que eu estava me sentindo triste e desmotivada, faço terapia e mantenho hábitos saudáveis para diminuir minha ansiedade, mas ainda sim e encarava a vida de uma maneira bem negativa porque simplesmente a cada coisa legal que acontecia surgiam três novos problemas e isso me deixava bem frustrada. Me sentia incomodada pelo fato de tudo ser tão complicado e quase nada dar certo, assim, eu me afundava ainda mais.

Meu namorado, querendo me ajudar, me recomendou esse livro e disse que seria bom para mim e que tinha uma visão interessante que podia mudar muitos dos meus pensamentos. Ok, né? Se não mudar nada, pelo menos li um livro. Certo, li o livro e estou fascinada com as palavras do autor. Se ficou curioso, calma, vou contar tudinho aqui nessa resenha, mas antes já me siga nas redes sociais: InstagramTwitter Facebook. E não deixe de conferir meu canal e meu Tik Tok

Um tapa na cara

O autor é bem sincero e atinge nossos pontos fracos, principalmente se alguns traços da sua personalidade coincidem com o que ele critica. Claro, ele não é a suprema verdade do universo, mas muitos pontos que Mark aborda são importantes e podem ajudar muito para o crescimento interno. Ele traz uma visão diferente para os problemas da vida, sim é normal ter problemas, infelizmente, não vivemos num mundo encantado. Os problemas da vida acontecem e precisamos aceitá-los, pois eles vão nos fortalecer de alguma forma para atingirmos uma versão melhor de nós mesmos. 

Ele fala sobre outros assuntos importantes, como responsabilidade, valores, prioridades... E também sobre o caminho para felicidade, mas tenha em mente que a felicidade não é plena e não estará com você em 100% da vida e o caminho até ela pode ser frustrante, porém, vale a pena.

O autor jogou na minha cara uma importante verdade: Eu não sou especial. Sim, eu não sou, nem você e nem seus amigos. Somos pessoas comuns e pensar o contrário pode ser bem narcisista, tipo, quando você se sente superior e especial sente que o universo deve algo a você e então você relaxa esperando as coisas virem enquanto deveria estar se esforçando para merecer as recompensas. Claro, eu acredito que cada um é único, mas isso não é motivo para exigir nada.

Valores, não, não estou falando de dinheiro

Para a ética, valor é aquilo que faz referência ao grau de importância de alguma coisa ou ação da vida, determinando quais são as melhores decisões a serem tomadas para a melhor maneira de viver. 

Nossos valores mudam a nossa perspectiva de mundo, por exemplo, qualquer acontecimento é relativo, já que as opiniões são formadas a partir de vivências e definidas pelos valores, sejam bons ou ruins

Portanto, qualquer interpretação é baseada nos nossos valores que adquirimos na vida, iremos definir o sucesso a partir deles . O autor cita que os melhores valores surgem de dentro para fora e a felicidade está em momentos simples, como passar um tempo com amigos ou fazer algo novo. Ser uma boa pessoa que é realista e está sempre motivada a tentar sem temer o fracasso.

Relatos de vida

Eu adorei que ao longo do livro Mark coloca várias histórias de vida, não apenas dele, mas também de amigos e de alguns famosos. MalalaDave MustaineMeredith Maran e outros. Ele coloca as vivências de diferentes pessoas como exemplo para sua filosofia de vida, achei interessante já que gosto de ouvir histórias. 


Em resumo, gostei bastante do livro, achei as palavras motivadoras. Não concordo com todos os pensamentos do autor, mas a maior parte das palavras estou tentando acrescentar em minha vida. Ah, não fique pensando que é aquele livro chato de autoajuda, pelo contrário, Mark é bem sincero e usa uma linguagem bem fácil e divertida de ler, eu amei. 


O que acharam? Sentiram vontade de ler? Me contem tudo aqui nos comentários e já me siga nas redes sociais: InstagramTwitter Facebook. E não deixe de conferir meu canal e meu Tik Tok

A sutil arte de ligar o f*da-se | O que eu achei A sutil arte de ligar o f*da-se | O que eu achei Reviewed by Angel Meyer on setembro 13, 2020 Rating: 5

3 comentários:

  1. eu li tbm! é um tapa na cara pra acordar pra vida! hahaha

    xoxo
    Guria do Século Passado

    ResponderExcluir
  2. OI Angel, quando eu li esse livro eu esperava algo diferente. Sei lá, algo totalmente inovador. Aí achei que ele trazia mais do mesmo apenas dito de outra forma. De um modo mais sincerão. Mas acho que foi muito da expectativa que eu criei, sabe. Que e bom que você leu e ficou fascinada.
    É muito bom quando as palavras e mensagens do livro mexem com a gente, né? Lendo os trechos que você destacou e o seu olhar para o livro até fiquei com vontade de dar uma segunda chance para ele.
    beijos
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest

    ResponderExcluir
  3. Senti vontade de ler sim. É importante que pratiquemos essa arte e não nos importemos com as coisas que acontecem em nossas vidas. Adorei a resenha.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.